Marcadores

quinta-feira, 27 de abril de 2017

A MINHA GERAÇÃO

Faço parte de uma geração, que foi obrigada a sobreviver dois extremos, pelo fato de ter sido filhos e agora sermos pais,quando pensávamos estarmos preparados para o mercado de trabalho,fomos obrigados a nos reinventarmos, e sem termos como, e a quem recorrermos, passamos a ser chamados de ultrapassados, sem que medissem nossa capacidade virtual...
Hoje,vejo senhorinhas e senhorzinhos idosos sofrendo nas filas dos caixas eletrônicos,esperando que algum funcionário,faça o grande favor de ajudá-los,acredito,que para muitos,isso é uma verdadeira tortura...
A virtualidade foi uma grande facilitadora,mas dificultou a vida de muito também...
Hoje se fala muito em autoestima, lembremo-nos bem dos apelidos, mais exdrúxulos,que os próprios familiares nos atribuíam...
Na escola não era diferente,não existia ainda a palavra americanizada bullyng,”bulir”e sofríamos toda sorte de descriminação,e ainda sentindo-nos culpados,aliás,éramos culpados por tudo,com nossos pais,com nossos professores,com as pessoas mais velhas,como hoje continuamos a ser,principalmente mulheres separadas,que ainda são abandonadas e descriminadas pela própria família,sejam homens ou mulheres...
A mulher no trabalho,custou a botar a mão em um computador,usavam a palavra quebra,em nome da desconfigura...
Mesmo assim, jamais devemos nos envergonhar mediante a geração que já nasceu informatizada,pois existem uma série de coisas que só os antepassados aprenderam,inclusive aprender...
Mas aí vem a pergunta,para que saber o que não se usa mais?Porque o saber é um clássico indefectível, que sempre, em algum determinado momento,ele pode ser acionado...
E nossa geração,mesmo com toda dificuldade do começo,bate um bolão,dominando a informática,pelo menos,para o que lhe é necessário,se alguns idosos ou idosas,se deram ao direito de não querer aprender, foi um direito de escolha,jamais incapacidade...
Faço parte de uma geração,onde responder para os pais era um absurdo,mesmo que tivéssemos razão,ás vezes nem cabia explicação,não nos era delegado voz para isso...
Hoje somos criticados pelos filhos, em tudo que realizamos,nada que fazemos para eles serve ou tem valor,e ser mulher de minha época então,é o caos,somos banidas de méritos,de conquistas,somos discriminadas por tudo que acontece,onde a família prefere sempre ficar do lado masculino,sem sequer se preocupar com a veracidade dos fatos...
Acredito que a humanidade esteja melhorando sim,já existem informações e formações ao alcance de quase todas as pessoas,portanto a misoginia e a descriminação aos mais velhos,que nem são dos jovens,mas sim,dos mais velhos mesmo,mediante a virtualidade,vão se esvair no tempo.