Marcadores

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

OS LIMITES DO CORPO

A nossa cultura sempre especificou, que precisamos aproveitar o tempo, que não podemos ficar ociosos, mesmo porque corremos o risco de nos tornarmos desocupados, e inúteis, que seria catastrófico em qualquer instância da vida...
Porém, com o tempo vamos percebendo, que o corpo começa oferecer suas coordenadas, seus sinais, então cremos que ,devemos permanecer ativos sim, mas que o descanso é imprescindível...
Quando nos reformamos, demoramos, meses ou anos até para nos desacelerarmos, semelha uma inconformidade de nossa parte,inseguros por temermos desatualização,mas aos poucos,vamos percebendo, que  são ciclos que precisam fechar, pois o tempo sempre mostra o caminho a ser adotado depois...
Acreditemos então, que o ócio,quando moderado, também pode ser benéfico,pode melhorar nossa qualidade de vida,até então muito agitada,muito consumida de maneira irregular...
O ócio faz com que nossa parte intelectual interaja mais com o físico,portando,devemos descansar toda vez que estivermos cansados, visto que,um corpo cansado atribula a alma...
É maravilhoso podermos descansar, ficarmos um bom tempo sem pensar em nada, dar folga para o pensamento, acreditamos, que muitas de nossas doenças possam ser curadas mediante uma vida mais calma, menos infausta...
Principalmente trabalhadores ou trabalhadoras braçais tendo mantido um esforço brutal do corpo,durante a vida toda,para se manter,mantendo também a família,dar-se um tempo para descansar depois de aposentado,é o mínimo que se pode fazer...
Portanto,aprendendo a gastar,podemos investir em qualidade de vida depois da aposentadoria,e com um ócio benéfico,ficarmos mais criativos,mais descansados e felizes...
Sabemos que é difícil nos condicionarmos quando estamos acostumados a viver uma vida inteira de estresses e correrias,então,ficamos desconcertados procurando algo mais sempre durante o dia para fazer...
Pois bem,sabemos que nos mantendo ativos,damos qualidade á vida,mas com certa moderação,respeitando os limites do corpo...
Quando nos damos um tempo, olhamos nossas plantas, conversamos pacificamente, e nossa vida, se coloca, mais engrenada,pois quando o físico está muito defasado,o lado psicológico tende a se ressentir também.