Marcadores

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

FELIZ NATAL

As estrelas brilhavam,quase meio apagadas, exibindo suas sombras,dando a impressão de dualidades,ou parecendo estrelas de mãos dadas...
O céu, embora escuro, mas salpicado delas, trazia um clima de silêncio,de reclusão pacífica e também uma nostálgica sensação dentre silêncio profundo...
Do outro lado,todas as casas iluminadas,e vinha um barulho longínquo,da música ,do vozear das pessoas,juntamente com o cheiro de comida boa no ar...
Sentamos um ao lado do outro e ficamos por um tempo,absortos em nossos mundos,em nossos pensamentos,e o silêncio entre nós,dizia-nos uma mistura de dialetos,repetia termos,tentando incomodar,nossa pacífica reclusão...
Então é Natal!
O silêncio foi quebrado, pela frase,olhamo-nos profundamente,e engendramos ,novo silêncio profundo...
Umas nuvens mais escuras foram empurradas pelo vento,que agora surrava nossos rostos,penteava nossos cabelos e tornava o ar abafado, agradavelmente arejado e ameno...
Fiquei imaginando o menino Jesus, tão criança, tão frágil,que nem podia fazer nada ainda, porém renascia a cada ano,nos pondo em um clima diferente,um clima que nos remetia ao passado,que nos açodava a entender mais as coisas,ou porque realmente sempre foi assim...
Uma fila imensa de pessoas, que desfilavam pelos nossos Natais, estavam ali,ante nosso silêncio,nossa reclusa...
A noite começou a misturar-se com a madrugada e o sono abateu-nos,quando silenciosamente,nos dirigimos ás nossas casas,e virando a esquina estava um bêbado contando moedas e dizendo coisas desconexas...
As vitrines todas lavadas e a frieza das manecas estipulava uma solidão,que esgueirando entre as sedas,os tafetás,impecavelmente expostos,gritava tanto...
Talvez o último ônibus ,trafegava soltando uma golfada de fumaça em cada parada que dava, e depois arrancava...
Soletrei imagens em meu pensamento,reouvi palavras e amorteci todas as lembranças mortas,de coisas que pareciam não terem acontecido...
Então_Feliz Natal! Eu lhe disse,e enquanto ele respondia,fui adentrando ao meu mundo de novo,e inundada por um sono aconchegante,continuei nossa conversa, em sonho,só que agora ,estávamos com uma taça de espumante gelado cada um,uvas frescas,e uma infinidade de rabanadas sobre a mesa...
Muita gente,muita gente mesmo!
E ali tudo era muito parecido,porém não distinguíamos as parecenças...
Revivemos de maneira intensa,aquele Natal,ríamos muito de tudo e a felicidade renascia em nossos olhares como a esperança mais profunda que se pode tatear...
Então,rindo nos brindamos.Feliz Natal!