Marcadores

segunda-feira, 15 de junho de 2015

SEGUIR O BRILHO DO SOL

Jamais se importar, não dar tanto valor ao que hoje entristece gratuitamente.Talvez esse aborrecimento, não mereça o crédito que é dado á ele.
São muitos sentimentos para poucos limites
Pode-se, expandir os limites á proporção dos sentimentos.
E a perfeição, não é amiga da liberdade. Deixa sempre algo por revelar.
Nasce-se, inacabado e precisado, e morre-se também.
O orgulho é instrumento que fere que prende a felicidade em suas mãos.
 Vive-se para ser feliz e não para provar aos demais que é...
A receita de felicidade para uma pessoa desavisada pode ser veneno letal para outra.
Então é obrigação de cada um, descobrir com a vida.
Entender suas coordenadas e seguir em paz.
Depois da sombra da nuvem, sempre brilha o sol.
Há dias mais turbulentos, em detrimento,outros mais amenos, faz parte das grandes descobertas que se apresentam perante todos.
As diferenças é que fazem o grande papel complementar da vida.
Nada ou ninguém pode ser igualado ou comparado.
Só há verdadeira harmonia, quando as competições das recitas do bem viver,forem extintas.
Compete a cada pessoa, ser um facho de luz para iluminar, quem ou o que está por perto.
Uma luz acesa define tudo ao seu redor...
A função do brilho e da claridade, não é ofuscar, mas sim clarear.
Mesmo os animais, vivem em harmonia com sua espécie, denotam companheirismo ao viverem em bandos e não em abandono.
A vida é para ser vivida em totalidade, e de um jeito que se perceba, que ninguém vem aqui por acaso.
A função de cada um, não será preenchida espiritualmente por outro.
Há que se sentir o quanto cada um é importante na composição do todo.