Marcadores

segunda-feira, 15 de junho de 2015

APRENDIZAGEM DA ERA DIGITAL

Nossa comunicação á longa distância, é mais verbal do que escrita. Pegamos o telefone e falamos onde nos convém e na hora. É claro que é preciso ter dinheiro para isso.Mas telefone já não é só privilégio das classes mais abastadas. Dificilmente vemos um jovem sem celular.Não lemos mais jornal para sabermos qualquer notícia.Basta que liguemos a televisão para que ela nos relate as notícias prontas.Claro! A comunicação virtual se faz através da escrita, mas a linguagem virtual é bem divergente em chats de bate-papo.Até pessoas não jovens estão aderindo à gíria virtual.[o internetês]
O mundo virtual é maravilhoso, mas há que se rever conceitos! Como professores, poderia ser redundante pedir resumo de qualquer obra aos alunos. Certamente eles encontrariam isso pronto. Sabendo disso, poderíamos até pedir a síntese do resumo manuscrito.Conservadorismo? Não se sabe ao certo como caminhar, quando o produto da tecnologia, é o jovem que aí está. Avaliação progressiva também seria uma saída.Ele seria avaliado pelas atividades que desenvolve em sala de aula todos os dias Escrevendo mais, ele aprimoraria a coordenação de idéias e escrita também.E quando se trata de Literatura, eles poderiam recriar seus conceitos, dissertando a respeito da obra. Peguemos Dom Casmurro [Machado de Assis] Depois que fizessem a síntese da obra, eles poderiam dissertar á respeito do ciúme que é o tema principal da obra.Depois disso, a maioria leria o livro por interesse e não por imposição, o que seria mais proveitoso para eles. Pedagogos e educadores buscam algo que seja atrativo aos nossos jovens, alternativas mil, mas a verdade é que ainda não se sabe ao certo, como lidar com essa situação.
Também não podemos considerar antipedagógico, os alunos escreverem em sala de aula, nunca podemos nos esquecer que escrevendo estarão desenvolvendo a habilidade da escrita correta.