Marcadores

segunda-feira, 15 de junho de 2015

ADMINISTRAR E MANDAR

Aí entra de sola a competência, a autonomia de se fazer entendido[a] e respeitado[a],exercitando entendimento e respeito.
Quem tem competência administra, quem não tem manda...
Entre as multiplicidades de instituições, família, comunidade há que se “respeitar” toda uma hierarquia de valores, de cargos para que haja disciplina e cooperatividade, só assim se elabora sucesso coletivo, seja numa empresa, numa família, comunidade, escola e outrem.
O chefe sempre comanda os demais, e a este cabe exercitar harmonia para que tudo caminhe dentro da mais perfeita sintonia, tendo em mente que uma equipe só se conjuga com cooperação e não competição.
A quem comanda uma equipe também cabe estar sempre se inteirando das múltiplas atividades desenvolvidas, manter seus subalternos informados e também incentivá-los com uma gestão de paz e tranqüilidade...
A fé nesses casos é sempre um ponto determinante, começa-se acreditar no que é capaz de realizar, e sem desespero conduzir de maneira serena,mesmo em dias de turbulências.
Mil problemas para resolver [e se são problemas, têm solução], só são insolúveis problemas criados onde não precisaria criar.
É claro, existem dias em que estamos mais suscetíveis, o que é mais um motivo para se manter a calma, esta nos levará a refletir melhor as coisas e de uma maneira espetacular, e estará preservando nossa saúde física e espiritual.
Não existe saúde física sem o respaldo da sabedoria, da compreensão, da justiça e da cumplicidade fraterna.
Quem vive em guerra constante tentando demarcar território ás custas de desrespeito acaba se machucando.
Respeito só se adquire exercitando-o...
Não se adquire respeito na força bruta, na falsidade,na intolerância.
Há que se sanar as diferenças, sim, mas conversando civilizadamente, não tentando impor a todo custo uma maneira rotulada de comandar.
Geralmente pessoas que adotam sistemas grotescos de desmandes, são pessoas inseguras e imparciais.
Precisam ser bajuladas por falsos manipuladores que ficam de plantão sempre no mesmo lugar esperando a próxima vítima.
O que se nota é que as pessoas estão se descaracterizando, se mostrando incapazes de serem éticas e se manterem com bom senso e dignidade perante uma coletividade ,que seria a segunda família,onde conflitos podem existir sim,são várias cabeças pensando,mas é inadmissível rumores absurdos,onde se fica perdido[a] e não se sabe mais quem é quem...
E diante disso o fracasso de toda uma equipe que teria tudo para dar certo.