Marcadores

domingo, 25 de janeiro de 2015

OLHAR

Olhar apenas,sem enxergar,jamais arranca sentido algum,pois os olhos mantêm a alma em sintonia  
com a consciência,tomando conhecimento, que expõe luz aos sentidos,aguça-os e os externa de maneira plena.
Enxergar a vida em todos os parâmetros,faz com que surjam respostas para novas perguntas,e perguntas para
respostas colocadas do lado oposto ,até então...
Comprimir as coisas,para diluí-las, em discernimento,nem sempre é possível,ao longo de toda vida,mas exibe um tanto mais de tarefas, a serem cumpridas,administradas dentro das possibilidades,que nos são oferecidas.
E nada sabemos, mesmo vivendo muito,nossa gama de conhecimentos, ainda mantém-se tão escassa,pois muitas vezes,perdemos muito tempo,justamente com as limitações, que ainda não conseguimos expandir,estendê-las ao nosso dispor,dominá-las...
Os limites são provas de nossa pequenez, “ao olharmos sem enxergarmos,”de nossa fraqueza, e do tanto de vezes que sucumbimos,depois de nos declararmos prontos...
Talvez,se enxergássemos melhor,dentro daquilo que consideramos óbvio,estariam muitas soluções aos nossos insolúveis,mesmo mediante a fé...