Marcadores

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

SUPERAÇÃO DOS NOSSOS DEFEITOS


Existem coisas que particularmente, talvez, não possamos entender,principalmente, quando se trata da coisa mais importante do mundo, que é nos relacionarmos com outras pessoas...Saber dialogar para poder chegar num consenso comum.
Nos declaramos abertos, espiritualizados, civilizados, porém quando a coisa esbarra num ponto crucial, já nos excluímos ,e alegamos as mais perfeitas desculpas e justificativas,para que nos fechemos em nossos defeitos,aqueles que só vemos em outrem...
Claro, que nos afastamos daquelas pessoas que demonstram, não estarem a fim de manter nenhum vínculo fraterno conosco,não podemos impor nossas condições,nossas afinidades onde não somos bem quistos...
Evitar pessoas que  não conseguem estabelecer um relacionamento leal,amigo,companheiro,compactuando verdades e vontades de praticar o bem,acreditemos ser um fator positivo quando não há outra alternativa.
 Não se trata em desprezar, odiar quem quer que seja,pois,carregar mágoas, um grande fardo,só para quem as carrega,então, afastar-se pelo bem,entendamos melhor assim, para que ambas sejam felizes.
Mas, muitas vezes, nos declaramos pessoas de bem, cumpridoras assíduas dos deveres legais, físicos, morais, mas a espiritualidade deixa muito a desejar quando atinge alguns parâmetros que”fogem da normalidade”
Então, aconselhamos,e também passamos a fugir dos ex-namorados, ex companheiros,e sem perceber vamos transformando a famílias numa ex família,onde todos se fecham para todos,a menos que haja uma brecha para as críticas sempre, e os deboches...
Acreditemos que para vivermos em harmonia, precisaríamos ainda crescer muito ao longo dos anos, que a maturidade ainda não seria suficiente, precisaríamos de mais uns mil anos, então...
Portanto, olhando por outro prisma, a vida simplificada é um luxo, é privilégio de quem desfruta da paz, de boa saúde física e mental e daí atingirmos a sonhada paz espiritual.
Que tentemos então, não nos custa nada superar nossos defeitos, nossas limitações, pois pode ser que os defeitos, que tanto vemos em outrem, se os compreendermos, estaremos crescendo como seres humanos e superando, apenas, os nossos próprios defeitos.