Marcadores

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

A MEDIDA DA AMIZADE


A amizade vem na conformidade de Deus.
 Nela está contida a essência de quem a oferece e a sabedoria de quem a recebe como leal e verdadeira
A grande descoberta está em entender no amigo os vestígios do amor...Aí se embasam os verdadeiros alicerçares da amizade
O Criador ao contemplar sua criatura abençoa e dá oportunidade para que ela se lapide em companhia e amizade, e se faça com o tempo a lei da transformação, da fraternidade generosa...
Entendamos como amizade, não palavras ditas, mas sim as observações feitas em nossas ausências, onde nossos defeitos têm o livre arbítrio de serem expostos ou não.
Atitudes generosas,que podem ser uma palavra de conforto,ou mesmo alguém do lado ouvindo em silêncio.
Somos responsáveis por tudo que cruza em nosso caminho, e por todos também.
Amizade implica  responsabilidade, respeito, e acima de tudo compreensão...
O criador é infalível nos seus desígnios por isso,em amizade,se coloca mais próximo.
Tão próximo que pode estar no balanço do coração quando este, pulsa pela amizade.
Amizades são verdades eternas, quando a rechaçarmos, tornamo-nos responsáveis pelas mentiras do mundo...
Temos livre arbítrio para rechaçarmos ou compactuarmos com elas...
Assim caminhamos buscando sempre o lado da outra morada,entre erros e acertos sempre escoamos o inconveniente e lapidamos a alegria da amizade.
O fato de não sermos perfeitos, nos aproxima do divino, da amizade, a perfeição nada tem a ver com sinceridade e simplicidade, muitas vezes ela vem carregada de um orgulho que entorpece e traz desencontros internos...E na amizade essas arestas são podadas, uma vez que os laços que unem pessoas amigas, são fortes e jamais podem se desfazer.
Não somos perfeitos porque nos entristecemos.
Porque sentimos o frio da falta de calor humano.
Porque choramos...
Em suma, não somos perfeitos porque precisamos da amizade, para amarmos incondicionalmente...
Porque buscamos no outro, os momentos e razões para dividirmos, e assim nosso fardo se trona mais leve, alegre quando este vem revestido de flores, que plantadas no silêncio das atitudes.
Mesmo que esta seja medida pelo silêncio do momento.