Marcadores

segunda-feira, 29 de julho de 2013

A FÉ TEM A COR DA ESPERANÇA


Quando acreditamos em nós, ornamos a vida com um clima prazeroso, nossos limites são expandidos, o tempo se torna nosso grande aliado, movimentando nossas realizações,dentro das esperanças rotineiras...
Ter fé, fato cientificamente já comprovado, que cura doenças, sana cicatrizes, mantém eterna jovialidade, e nos torna mais gratos diante de um arsenal de bens, que só conseguimos ver munidos de fé...
A fé é o caminho que nos leva a grandes realizações, e dentre elas, o simples fato de viver a vida de maneira livre, sem amarras das competições acirradas,dos fardos estereotipados de modo de vida...
Se tivermos uma religião para amparar nossa fé, é muito bom, mas o importante mesmo,é fazermos de nossas atitudes,um comprovante de que,somos do bem,consertando nossos erros em detrimento dos acertos,levando adiante as marcas da fé em nosso “Meio”.
Mediante a forças positivas internas, estamos todos nós aptos a sermos extremamente felizes, basta que olhemos ao nosso redor, e comecemos a perceber, os inúmeros bens e benefícios que a vida nos oferece...
Que saibamos, perante a fé, sentir gratidão a quem faz parte de nosso ciclo familiar, estabelecendo sempre uma relação de paz, de convivência civilizada, onde só haja lugar para o amor, em que as nocivas competições, sejam trocadas pelo clima de colaboração... Entendamo-nos que amparados em atitudes do bem, podemos banir nossos próprios inimigos internos, direcionar nossos pensamentos, ordenar paz e harmonia em nosso “Meio”...
Portanto, confiemos, e partindo desse princípio, e através dele, levemos a esperança como porta estandarte ás pessoas de nosso núcleo, que ainda se encontram á margem da vida,por diversos motivos...
 Acreditemos que o bem pode e deve vencer a violência, o desamor, a eterna crucificação da paz, a ganância corrupta, em que esses horrores invadem o mundo do bem e se fazem notados de maneira estúpida, aniquilando vidas, de armas empunhadas, ou não...
Entendamos “modernidade”, como a grande libertadora da desgastada e “antiga” maldade, corrupta e aniquiladora...Se o mal sempre existiu, se faz hora deste ser totalmente varrido de nosso “Meio”, que seja eliminado pelas atitudes da fé e da esperança, como uma antiga e castradora doença, que  já erradicada.
Onde as ruas, as casas, os lugares de diversões, enfim, todos os encontros sociais, comunitários,de trabalho e familiar,sejam redutos de pessoas crentes,livres e esperançosas...
E que estas deixem seus rastros no “Meio”  em que convivem...