Marcadores

domingo, 7 de outubro de 2012

A ARTE DE CONVIVER

Embasada no respeito e na disciplina,assim atua a arte da convivência,tendo como respaldo primordial a valorização do território alheio,onde se escondem conceitos,maneiras de ver e encarar o mundo ao redor,as escolhas gostos e costumes de cada um.
Acredito nesse meio, ser de suma importância saber avaliar e pesar cada contrapartida, cada ponto de vista, mesmo que este venha de encontro á linha de pensamento, no limiar, na verdade em pauta.
Respeitar o espaço psicológico de cada um é um tanto difícil e requer muito treinamento e maturidade.
Em se tratando de conceito de vida, de atitudes,de concepção de valores,estes lá no fim da linha se encaixarão,mesmo porque os afins,sempre buscam uma verdade entre si,um mesmo caminho,mesmo que trilhando por parâmetros aparentemente diferentes,essas igualdades sempre se encontram de qualquer forma,pois seus movimentos internos,torna essa busca em encontros.
Portanto, é inadmissível ás pessoas que convivem, não pautarem com a veracidade sempre no que tange e diz respeito á lei da convivência.
Conviver é uma arte muito pouco bem sucedida, pois que os valores essenciais estão mudando de nome, e dando lugar a outras concepções que nada têm a acrescentar na arte de conviver.
Estamos todos nos tornando produto descartável, usável,produto esse que facilmente enfastia dando passagem á nova busca,pelo simples fato do inusitado,mas a partir do momento em que a convivência exige respeito e compreensão,parece se tornar novo farto pronto para o descarte.
Ninguém mais parece estar disposto a entender, a aceitar os próprios defeitos no outro,mas lapidar convivência é uma arte que traz retornos muito compensadores