Marcadores

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

FRAGMENTOS DO LIVRO AMOR ETERNO

Fora um final de semana comum, como outro qualquer,eu vinha cheia de dúvidas, de erros e também muito sofrimento.
Não sabia de onde ele vinha,mas parece que ele vinha em direção ao meu coração.
Era bastante duvidoso, porque eu carregara uma história comigo de amor, mas também de tristeza, de fracasso.
Frequentávamos um chat, e eu percebera ele de imediato, destacando pela inteligência, pelo jeito de rei, de príncipe, mas simples como um plebeu.
E através de outras pessoas ficara sabendo de seu caráter ,de sua bondade.
Claro,eu queria amar um homem assim, mas talvez, já o amasse sem perceber.
Minha vida deu umas voltas naquele chat, porque eu achara impossível ficar com alguém assim tão requisitado.
Quando ele clareava o chat, as mulheres ficavam enlouquecidas, e ele digitava poemas de Fernando Pessoa, letras de músicas de Roberto Carlos.
E todas queriam saber, para quem ele estava digitando, e ele conversava no aberto para todas e todas pensavam que era para elas.
Eu nunca chegara a pensar, que fora para mim,estava distante daquele homem, tanto em lonjura como me julgava nada intelectual perto dele.
Ele sempre sabia tudo e um pouco mais...
Tudo que fazemos na vida é com intento do acerto,porém,quando cometemos enganos,que pelo menos sejamos verossímeis para assumirmos nossas dores.
É justamente isso que o amor requer, pois amar não implica velejarmos constantemente em um mar de rosas.
Minhas dores latentes eram só minhas ,como as são agora, então eu olhava para aquelas escritas tão nítidas, descontraídas carregadas do contexto verdadeiro.
Eu ficara um bom tempo lendo tudo aquilo, como alguém que lê um livro página por página e neste encontrando mil razões para que a emoção interfira sentimentalmente.
As estrelas passaram a ter um lume diferente, quando da imagem ausente sobravam aquelas palavras, aquelas frases, dentre um reduto de sonho.
Seus dedos cantarolavam melodias, soletravam poemas, sonetos.
”Em tudo ao meu amor serei atento”.
Portanto, um encantamento tomou conta de meu coração, pois eu sempre tivera nas palavras a essência...
Porquê meu mundo, desde a tenra idade, fora feito delas.
Eu vira as palavras brincando numa tela, como as estrelam brincam no céu, como o pirilampo saltita num jardim, no meio do breu.
Assim, publiquei esse livro vivo dentro de minha alma em paz.